Peter Pan Adulto (2)

Ver um homem de 30 anos vestido como um adolescente de 14 anos e caminhando na rua, ou um indivíduo de 40 anos no shopping, montando um animal mecânico para crianças, poderia ser algo muito especial ou normal, mas não para quem sofre da Síndrome de Peter Pan. Esse é o caso de muitos homens que não conseguiram superar a etapa da infância e não querem deixar de ser crianças. No caso das mulheres não é chamada de “síndrome”, mas nomeada de “Complexo de Wendy”, que na história de Peter Pan, ela é caraterizada pelo cuidado, proteção e controle exagerado.

A Síndrome de Peter Pan, foi mencionada por primeira vez pelo psicólogo norte-americano Dan Kiley no seu livro “The Peter Pan Syndrome: Men Who Have Never Grown Up” (Síndrome de Peter Pan: Homem que Nunca Cresce). No entanto a psicologia não considera esta síndrome como uma doença real e não está referenciada nos manuais de transtornos mentais como o DSM V. A patologia psicológica mais próxima a esta síndrome é o “Infantilismo”, que consiste no desejo do indivíduo de ser tratado como criança ou bebê, usando fraldas e outros acessórios infantis. Atualmente existem 10 casos de infantilismos registrados no mundo e o mais próximo pode se encontrar no Chile, do Homem Guagua.

A origem do nome desta síndrome surge da história infantil do Peter Pan e se caracteriza por uma variedade interessante de sintomas, em homens com mais de 30 anos de idade que se negam crescer, amadurecer e assumir responsabilidades ou compromissos. Entre os sintomas mais comuns podem se encontrar os seguintes:

  1. Episódios constantes de ansiedade.
  2. Não quer deixar de ser filho, resistindo-se a ser pai.
  3. Incoerência entre a sua idade cronológica e sua maturidade efetiva.
  4. Presume ser jovial, simpáticos, esportistas, aplicados e sedutores de mulheres jovens.
  5. Pouco senso de responsabilidade.
  6. Se tiver cônjuge, pode apresentar instabilidade sexual.
  7. Possui um desejo intenso de ser cuidado, procuram Wendys que tenham uma personalidade com fortes tendências maternais.
  8. Acostuma vestir roupas para idade da adolescência.
  9. Nos casos mais graves as suas atitudes e comportamentos chegam a ser igualados aos das crianças, inclusive de bebê, tal como o caso do homem bebê do Chile.

É muito importante mencionar que estamos tratando de uma situação séria e delicada, que precisa de um tratamento oportuno e rápido de um especialista na área, neste caso um psicólogo. Isto poderá evitar muitos problemas para o indivíduo que padece desta síndrome, em especial nos relacionamentos conjugais.

Se você detectar estes sintomas em algum dos seus familiares ou conhecidos, a melhor forma de poder tratar esta síndrome é a psicoterapia o mais rápido possível.

By Ivan D. Mancilla

 

Deixe seu comentário

%d blogueiros gostam disto: